sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Do dia em que pensei que não viveria para ver 2012

Ônibus que nos levou a Marcahuasi
Eu sempre gostei dessa coisa de viajar. Pensei que iria fazer isso da vida um dia, mas aí os 23 chegaram, o tempo foi passando, e, você sabe, eu estava mais preocupada em como não fazer a incrível carreira brilhante no Direito que o senhor meu pai imaginou pra mim.

Um dia a amiga disse que iria estudar na Austrália. Mas que tinha medo. Que não queria ir sozinha.

Respondi que ela era uma imbecil. Que medo o meu ovo. Que tinha quem a apoiasse. Que ela não tinha nada a perder.

Três meses depois ninguém foi pra Autrália, mas eu estava na Inglaterra. Com sangue nos olhos e amassando cacos de vidros com a mão direita, percebi que a imbecil era eu, vendi meu uno 2003 cor vinho placa JKR 9999, larguei meu trabalho e fui estudar ingrêis nas gringa. Mentira, eu fugi. Fugi e voltei. Voltei mais quebrada do que quando fui, mas a vida dá certo.